English Version
     > Home > Brasil/UK na mídia

Reino Unido detalha plano para alcançar metas domésticas de redução de emissões até 2020

O Governo Britânico anunciou um plano de ação para converter o Reino Unido em uma economia sustentável e de baixo carbono. O Plano de Transição de Baixo Carbono - uma estratégia econômica abrangente - ajudará o Reino Unido a adotar medidas de baixo carbono e a se beneficiar de suas vantagens econômicas.

O plano, anunciado pelo Ministro de Energia e Mudanças Climáticas do Reino Unido, Ed Miliband, descreve em detalhes a maneira como o Reino Unido alcançará suas metas domésticas de redução de emissões de carbono - estabelecidas pela Lei de Mudanças Climáticas - que determinam o corte de pelo menos 34% até 2020, em relação aos níveis de 1990. Uma redução de 21% já foi alcançada - o equivalente ao corte das emissões totais de quatro cidades do tamanho de Londres.

Transformar a Grã Bretanha em um lugar mais limpo, mais verde e mais próspero para se viver está no centro de nossos planos econômicos, o que garantirá que o Reino Unido estará pronto para aproveitar as oportunidades que vêm pela frente. As medidas anunciadas hoje significam que, até 2020:

  • Mais de 1,2 milhão de pessoas terão "empregos verdes";
  • 7 milhões de domicílios passarão por reformas relacionadas a energia e mais de 1,5 milhão de domicílios receberão apoio para produzir sua própria energia limpa;
  • 40% da eletricidade será proveniente de fontes renováveis, de baixo carbono, energia nuclear e carvão limpo;
  • A importação de gás será reduzida pela metade em relação ao que seria necessário em um cenário habitual;
  • Os novos carros emitirão 40% menos carbono do que os veículos atuais.

O Ministro de Energia e Mudanças Climáticas do Reino Unido, Ed Miliband, disse:

"Para o Reino Unido, combater as mudanças climáticas e fazer a transição para uma economia sustentável e de baixo carbono faz sentido para a economia, a segurança e a sociedade do nosso país.

Nosso Plano de Transição para o Baixo Carbono ajudará a abrir portas para novos empregos, novas indústrias e novas oportunidades de comércio internacional para o Reino Unido.
A cúpula do G8 e das Grandes Economias, na semana passada, produziu verdadeiros avanços nas negociações quando líderes globais acordaram e se comprometeram, pela primeira vez, em manter o aumento da temperatura global em 2ºC. Isso significa que, a partir de agora, tanto países desenvolvidos quanto países em desenvolvimento terão de demonstrar que suas ações e compromissos estão de acordo com este parâmetro científico. Um futuro de baixo carbono está agora ao alcance de todos os países do mundo, à medida que nos aproximamos das difíceis conversas em Copenhague que ocorrerão em menos de 150 dias.

Os países desenvolvidos devem demonstrar liderança e ambição se quiserem ser levados a sério pelos países em desenvolvimento. É por isso que acredito que todos os países desenvolvidos precisam de um plano para uma transição para baixo carbono. Hoje, publicamos o nosso, mostrando que o Reino Unido está disposto e pronto para cumprir seu papel no acordo de Copenhague, com políticas de verdade e cortes de emissões reais."

A Estratégia Industrial de Baixo Carbono do Reino Unido, também divulgada pelo Governo, apresenta uma série de intervenções ativas do Governo para apoiar as indústrias que são imprescindíveis no combate às mudanças climáticas. Isto coloca os trabalhadores e negócios do Reino Unido à frente de uma grande oportunidade global.

Também foram publicados a Estratégia para Energias Renováveis do Reino Unido, que descreve como o Reino Unido atingirá a meta de produzir 15% de toda a energia usada no país (eletricidade, aquecimento e transporte) a partir de fontes renováveis até 2020, e o documento Transporte de Baixo Carbono: um futuro mais verde, que mostra como reduzir as emissões de carbono do transporte doméstico em até 14% na próxima década.

O Reino Unido é o primeiro país no mundo a determinar ''orçamentos de carbono'' vinculados à lei. Na Lei de Mudanças Climáticas de 2008, as emissões de gases estufa foram restringidas em períodos sucessivos de cinco anos cada. O Plano de Transição estabelece como cortar emissões em 34% em relação aos níveis de 1990 até 2020 dos principais setores responsáveis por elas - energia, domicílios, locais de trabalho, transporte e agricultura - no caminho para conseguir uma redução de pelo menos 80% até 2050.

Um resumo das áreas abordadas nos novos documentos é mostrado abaixo:

O setor de energia
Cerca de 50% dos cortes anuais de emissões feitos entre hoje e 2020 serão conseguidos tornando a matriz energética ainda mais verde. Esperamos que 40% da energia elétrica usada em 2020 seja proveniente de fontes de baixo carbono - 30% de fontes renováveis e o restante de usinas nucleares (incluindo novas que serão construídas) e de carbono limpo. Precisamos praticamente eliminar o carbono da eletricidade até 2050.

Domicílios e comunidades
Cerca de 15% dos cortes anuais de emissões entre hoje e 2020 serão conseguidos tornando os domicílios mais eficientes e apoiando a geração de energia renovável em pequena escala. Uma considerável economia pode ser feita - em uma casa com isolamento térmico mal feito, até £1,00 de cada £3,00 gastas com aquecimento está sendo desperdiçada.

Locais de trabalho e emprego
Cerca de 10% dos cortes anuais em emissões feitos entre hoje e 2020 serão conseguidos por meio da maior eficiência nos locais de trabalho. Até 2050, os escritórios, fábricas, escolas e hospitais precisam reduzir suas emissões a praticamente zero. Novas oportunidades de trabalho e negócios serão criadas em novos setores fora do setor de energia, e será necessário apoio para tornar as empresas mais eficientes em termos de energia.

Sistema de transporte
Aproximadamente 20% da economia anual de emissões necessária até 2020 terá de ser atingida tornando a maneira como as pessoas se locomovem no Reino Unido mais sustentável. Até 2050, o transporte rodoviário e ferroviário passará por um processo de descarbonização; já a aviação e o transporte marítimo apresentarão uma melhora significativa em eficiência.

Agricultura e manejo sustentável da terra
Aproximadamente 5% dos cortes anuais de emissões entre hoje e 2020 serão conseguidos por meio da redução das emissões da agricultura, do uso da terra e de resíduos.